sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Plantas de Fevereiro

Por Luciana Leal
N este mês a atividade no jardim é muito mais intensa que no mês de janeiro.
Lista de Espécies Abordadas:
  • Boca-de-Leão - A ntirrhinum majuns sp.
  • Hemerocallis - Hemerocallis sp.
  • Junquilhos - Fresia sp.
  • Malmequer - Calendula officinalis
  • Rainha magarida -  Callistephus chinensis Ness
Outras Espécies Recomendadas:
Pode-se plantar: Amor-Perfeito, anêmonas, angélicas, assembléias, balsaminas, boca-de-leão, borboletas, capuchinhas, cosmos, crisântemos, damas-entre-verdes, dálias, junquilhos, lobélias, malmequer, miosótis, rabo-de-raposa, rainhas-margaridas, saudades, sempre-vivas e tremoço-de-cheiro.
Espécies que florescem: açafates, esporinhas, agapanto, angélica, bico-de-tucano, copo-de-leite, flox-perene, heliotrópio, hemerocalis, margarida-branca, mil-folhas, Estrelitzia reginae Viola cornuta . Além de algumas árvores e arbustos como: Magnolia grandiflora, Cassia multijuga Clitoria racemosa , rabo-de-tucano, paineira de flores róseas, paineira de flores róseo-pálido, castanha-de-macaco e quaresmeira-roxa. Na arborização de ruas de Curitiba temos a floração de Chorisia speciosa (paineira) e Tibouchina sp. (quaresmeira).
Boca de Leão
Nome científico: Antirrhinum majuns sp.
Família: Scrophulariaceae
Nome vulgar: boca-de-leão
Herbácea bienal, ereta, muito florífera, originária da região Mediterrânea, com 60 a 70 cm de altura, com folhas lanceoladas, pequenas e membranáceas. Inflorescências terminais, grandes, com numerosas flores tubulares com dois lábios desiguais, cuja forma, mediante pressão do tubo, deu origem ao nome popular.
As flores são produzidas em diversas cores na primavera e inverno, com diversas variedades hortícolas. É cultivada a pleno sol, em bordaduras, jardineiras, ou em maciços isolados, em canteiros de terra com muita matéria orgânica, boa drenagem e irrigada periodicamente. Aprecia climas frios. Multiplica-se por sementes que devem ser semeadas a partir do outono. Apesar de possuir ciclo bienal, os canteiros devem ser renovados anualmente.
Hemerocallis
Nome científico: Hemerocallis sp.
Família: Liliaceae
Nomes vulgares: lirio-de-são-josé, hemerocale, hemerocallis. lirio
Herbácea rizotomosa, perene, acaule, da Europa e Ásia, com 40 a 60 cm de altura, de folhas basais, lineares e estreitas. Inflorescências eretas, com poucas flores de cor amarela, simples ou dobradas, formadas durante grande parte do ano, principalmente no verão. É cultivada com freqüência a espécie H. flava. A tualmente é cultivado um grande número de variedades híbridas., com tons variados de amarelo, alaranjado, marrom e rosa. É adequada para bordaduras ou conjuntos isolados, a pleno sol, com terra rica em matéria orgânica. É tolerante a baixas temperaturas. Multiplica-se com facilidade pela divisão de touceira, colocadas em recipientes individuais em locais protegidos.
Junquilhos
Nome científico: Fresia sp.
Família: Iridaceae
Nomes vulgares: frésia, frísia, junquilho
Planta herbácea bulbosa, florífera, originária da África do Sul, com 20 a 30 cm de altura. Folhas estreitas e longas. Com inflorescências recurvadas, longas, com flores dispostas de um lado só, de cor amarela na espécie típica, da qual foram obtidas variedades de flores brancas, arroxeadas, perfumadas, multicoloridas obtidas por hibridação. É cultivada em bordaduras ou conjuntos isolados, em canteiros a pleno sol, com terra estercada. Aprecia climas frios.Multiplica-se por bulbos, que passam por um período de repouso vegetativo após o término do verão, podendo então ser efetuado seu arranquio. Pode ser cultivado no outono, florescendo no inverno-primavera.
Malmequer
Nome científico: Calendula officinalis
Família: Asteraceae
Nome vulgar: calêndula, malmequer, maravilha do jardim
Planta herbácea anual, originária das Ilhas Canárias e região Mediterrânea, com 40 a 60 cm de altura, com folhas ovaladas e espessas.
As flores são pequenas, reunidas em capítulos, densos, simples ou dobrados, muito duráveis, em tons de amarelo e alaranjado.
É cultivada para produção de flor de corte, e em jardins para formação de maciços a pleno sol, em canteiros com terra bem preparada e incorporada a um bom material orgânico. É resistente a baixas temperaturas no inverno.
Multiplica-se por sementes que devem ser semeadas no outono para florescerem no inverno e primavera.
Rainha margarida
Nome científico: Callistephus chinensis Nees
Família: Asteraceae
Nomes vulgares: rainha-margarida, áster-da-china
Herbácea anual, muito florífera, originária da China e Japão, com 40 a 50 cm de altura, com ramagem áspera e folhas pilosas. As flores são reunidas em capítulos grandes, simples ou dobrados, com variedades brancas, azuis, roxas e violeta, formadas na primavera e verão. É utilizada para produção de flores para corte e para plantios em jardins como bordadura ou conjuntos isolados, a pleno sol, em canteiros com terra rica em húmus, de boa drenagem e irrigada periodicamente. É tolerante a baixas temperaturas no inverno. A propagação é por sementes, postas para germinar no inverno, visando o florescimento na primavera e verão.
Fontes :
  • SANTOS, M. C. Manual de Jardinagem e Paisagismo. 3. Ed. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 1978.
  • LORENZI, Harri. Plantas ornamentais no Brasil: arbustivas, herbáceas e trepadeiras. 2. Ed. Nova Odessa, SP: Instituto Plantarum, 1999.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.