segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Varanda

Estreita, curva ou comprida demais. Seja qual for o “defeitinho” de sua varanda, existe uma maneira de melhorá-la. Do vaso que esconde as irregularidades do ambiente aos painéis que mudam o foco de atenção, é possível transformar aquele canto perdido em um belo jardim
Texto Thaís Lauton
Evelyn Müller
No aparador, os vasos trazem orquídea chuva-de-ouro, fícus-nigra treliçada e minifícus. Na prateleira, orquídea cimbídio, pata-de-elefante e ripsális. Sob o aparador, clúsia e, à esq., um exemplar adulto de fícus-nigra tomado pela forração rosinha-de-sol. Todas as peças são da Anni Verdi
Disfarce com plantasO trio de tinas de madeira de demolição comviburnos esconde a forma acentuadamente curva desta varanda, no Morumbi, em São Paulo. Autor do projeto, o paisagista Odilon Claro, da Anni Verdi, usou truques sutis para suavizar a irregularidade do espaço de 14,78 m². Além da disposição ordenada de tinas, o piso de madeira de demolição foi assentado na vertical, aos olhos de quem passeia pela varanda. “Isso reduz as quebras e facilita a projeção dos vasos pela área”, afirma Odilon.
Para chamar mais a atenção para o canto regular davaranda, um painel de madeira de demolição reveste uma das paredes, que ganhou um aparador de cruzetas com plantas em vasos. A outra parede tem uma treliça com lágrima-de-cristo, além de uma floreira com herinha.
Antes de se mudar para o apartamento, os moradores viviam em uma casa e tinham o costume de usar o jardim para tomar café da manhã e ler jornal. Odilon manteve a rotina do casal ao reservar um espaço para uma namoradeira e para os cubos de demolição, que servem de mesa. O canto ainda foi preenchido com uma jabuticabeira, uma pata-de-elefante e duas eugênias.
Dica
Pisos de madeira são fáceis de instalar em varandas e podem ser montados sem reformas. Este foi colocado e envernizado em dois dias
Evelyn Müller
No canto onde os moradores gostam de ler o jornal todas as manhãs, jabuticabeira (à esq.), pata-de-elefante e eugênias (à dir.)

Evelyn Müller
A curva no desenho da varanda foi disfarçada com a série de tinas de madeira de demolição com viburnos. Ao fundo, vaso de aço galvanizado com minigardênia e floreira do mesmo material, com herinha. A treliça de alumínio com pintura eletrostática tem lágrima-de-cristo, tudo da Anni Verdi. O piso e o painel de madeira de demolição são da Adorno Madeiras

Evelyn Müller
Odilon Claro
Revista Casa e Jardim

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.