domingo, 4 de março de 2012

Espécies Esculturais no Paisagismo

Chamam-se de espécies esculturais, aquelas que possuem um formato peculiar, um porte majestoso ou algumas características que fazem delas o destaque no jardim. O uso destas plantas segue a moda, que varia a cada tempo e que muitas vezes resgata algumas espécies que estavam esquecidas.
Pandanus utilis

É necessário muito cuidado na utilização destas plantas e só o fato de se ter uma delas no jardim, não quer dizer que o bom gosto e a harmonia do projeto estão garantidos.

Estas plantas normalmente têm um custo elevado e muitas vezes as floriculturas as colocam em seus orçamentos, pois assim estarão aumentando o seu lucro e o cliente, que desconhece tanto a planta como os princípios da composição, acaba acreditando que terão um jardim especial, apenas porque estão comprando uma planta cara e que está na moda.

Em outras situações vê-se um amontoado de espécies esculturais num jardim onde caberia apenas uma delas. Tem-se então a impressão que as plantas terão que entrar num acordo entre elas para ver de quem será a vez de se destacar no jardim, já que ao se olhar para o jardim todas estarão chamando a atenção ao mesmo tempo.

Para se utilizar de forma sensata essas plantas, deve-se primeiramente observar o tamanho do jardim e também qual será o tamanho que a espécie atinge quando adulta. Outra dica é utilizar apenas uma destas plantas esculturais por ambiente, pois se ela é utilizada para dar destaque, então que ela seja a única a se destacar.

Imprescindível também conhecer a espécie, suas necessidades de iluminação e se esta de acordo com o clima do local, pois caso contrário ela não irá se desenvolver plenamente, ou até pode acabar morrendo, o que causará um grande prejuízo.

Phoenix canariensis
Entre as espécies consideradas esculturais, temos algumas palmeiras como a Phoenix canariensis, uma das plantas mais caras existentes no mercado, a Bismarckia nobilis, conhecida como palmeira azul e a Wodyetia bifurcata, conhecida popularmente como rabo de raposa.
Bismarckia nobilis
Baucarnea recurvata, ou pata de elefante, é uma espécie de crescimento lento e por este motivo é também bastante cara. Já oPandanus utilis não deve ser utilizado em locais de clima frio, pois é muito sensível às geadas e ventos frios.
Baucarnea recurvata

Dracaena drago
Algumas espécies do gêneroYucca (a rígida e a rostrata) e aDracaena drago são também muito esculturais, mas só devem ser utilizadas em locais de clima quente.

Zamia pumila



Zamia pumila é outra espécie escultural muito interessante, mas que também só pode ser utilizada em climas quentes.

Dasylirium acrotriche
Dasylirion acrotriche é uma espécie que tem muito pouco tempo de uso nos jardins e como é muito rústica, pode ser utilizado tanto em clima quente como em climas frios. Um cuidado ao utilizá-los é ter uma forração que proporcione um contraste com suas finas folhas, que praticamente desaparecem quando plantado sobre a grama.

Lembrar que o bom senso é sempre um ótimo aliado quando se pretende definir proporções entre quantidades e portes das plantas em relação ao tamanho do jardim.http://heloizarodrigues.blogspot.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.