quarta-feira, 28 de março de 2012

Soneto

SONETO VERDE
                          Lílian Maial Luiz Antônio Cardoso  
À sombra dos teus galhos fez-se o leito (LM)
propício ao renascer de toda vida. (LAC)
Raízes incrustadas no meu peito (LM)
acordam a saudade... distraída. (LAC)

O amor, na tua seiva, liquefeito, (LM)
desfaz a sua onírica partida, (LAC)
e nutre o coração - ora refeito (LM)
de paz e amor, em meio à despedida. (LAC)

Teus olhos clorofilam minhas folhas, (LM)
teus lábios propiciam as sementes (LAC)
que o tempo não demora a maturar. (LM)
 
E a vida é bem assim... tantas escolhas (LAC),
florestas tombam antes que lamentes (LM)
e sonhos custam tanto a germinar. (LAC)
 
***********

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.