domingo, 22 de julho de 2012

ARBUSTOS


Xanthosoma sagittifolium

 taioba,orelha-de-elefante, macabo, mangarás, mangará-mirim, mangareto, mangarito, taiá, yautia
Nosso amigo Murilo ao lado de uma folha de Xanthosoma

Apesar de usada na culinária mineira, prefiro dar-lhe destaque como arbusto ornamental, por causa da exuberância de suas folhas que, às vezes enormes, brotam a partir de um órgão subterrâneo parecido com um rizoma, denominado cormo. Mesmo assim não posso deixar de comentar que, além de saborosas, suas folhas são uma fonte alta de vitamina A, maior, inclusive, do que o espinafre, a cenoura e o brócolis e que a farinha feita com suas raízes é rica em carboidratos. É importante destacar o perigo de consumir por engano a taioba-brava (Colocasia antiquorum), uma planta tóxica devido ao oxalato de cálcio que contém.
Taioba

Preferencialmente cultivada em terrenos baixos e úmidos, é uma alternativa boa junto à árvores, palmeiras e outros arbustos que lhe proporcionem sombra, para que suas folhas alcancem bom tamanho. Sua estrutura pomposa e ao mesmo tempo tão genuinamente tropical permite a criação de cenários paisagísticos notáveis quando respeitadas as regras, que combinam tonalidades de verdes junto com outras colorações e tamanhos e formatos de folhas.
Sua multiplicação se faz por divisão do tubérculo, conservando pelo menos uma gema em cada fragmento. Mas olha, eu não consigo encerrar este texto sem comentar que as folhas refogadas em azeite e alho, temperadas com um pouco de sal e servidas com uma boa fritada de batatas doces ficam ótimas, especialmente se acompanham sardinhas frescas e grelhadas. Uma delicia! Cada vez é mais frequente cultivar plantas comestíveis no meio de um lindo jardim. Uma maneira sincera e elegante de sustentabilidade.
Acesse mais detalhes e informações na nossa Biblioteca de Espécies.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.