sábado, 28 de julho de 2012

Espécies de frutíferas se desenvolvem em vasos, colorindo sacadas e jardins

Espécies de frutíferas se desenvolvem em vasos, colorindo sacadas e jardins Daniele Sedo,divulgação/Daniele Sedo,divulgação
Dupla de jabuticabeiras (à D na foto) combinada com outras espécies decorativas organizadas em canteiros quebra a monotonia Foto: Daniele Sedo,divulgação / Daniele Sedo,divulgação

Algumas espécies se adaptam a locais menores e podem ser cultivadas em sacadas ou jardins reduzidos. Confira os cuidados básicos para tê-las em casa


Quem tem sabe como é bom colher e comer uma fruta do próprio jardim. É prazeroso não apenas pelo sabor, mas pela satisfação de degustar algo cultivado por nós mesmos. E não é preciso ter amplas casas ou propriedades rurais para isso, bastam alguns cuidados e um pouco de disposição. Em varandas de apartamentos ou em jardins reduzidos, enriquecer a área verde com plantas frutíferas é uma possibilidade.

Morango se adapta bem ao cultivo em vasos (clique sobre as fotos para vê-las em tamanho maior). Foto: Julio Cesar Giuliani, Arquivo Pessoal 
Em áreas externas, há como alternar as frutíferas com outros tipos de plantas e arbustos sem prejuízo estético. Conforme a arquiteta e paisagista Daniela Sedo, a tendência do paisagismo com frutíferas é aproximar o homem com a natureza: 
– Este tipo de planta atrai passarinhos, o que contribui para o ecossistema, além de ser educativo para as crianças, pois elas percebem o desenvolvimento da árvore até chegar ao ponto do fruto ser consumido – teoriza. 

Alface plantado em cano de PVC é uma solução simples e saudável para ter plantas frutíferas em casa. Foto: Julio Cesar Giuliani, Arquivo Pessoal 
Porém, antes de decidir quais as espécies se pretende ter, é importante responder algumas perguntas com relação ao espaço disponível e à dedicação prevista: Há incidência de sol no local? O ambiente é arejado, mas sem vento excessivo? Aprecio a fruta da espécie que plantarei? Tenho tempo disponível para irrigar? E para podar e adubar? 
Segundo o engenheiro agrônomo e mestre em horticultura Julio Cesar Giuliani, conhecer em detalhes o local onde as mudas serão plantadas é o primeiro passo para o resultado ideal da equação jardim saudável e dono feliz: 
– Sol é fundamental. Sabendo que se tem mais de quatro horas ou cinco horas diárias de sol já é possível escolher qual o tipo de frutífera que se deseja ter – explica Giuliani. 
Plantas ideais para vasos

De porte pequeno, amoreira também se enquadra muito bem se plantada em vasos. Foto: Julio Cesar Giuliani, Arquivo Pessoal
Além do sol, ter uma frutífera exige cuidados essenciais. Irrigação e drenagem eficiente no vaso, poda (de galhos e raiz), adubação e ventilação são procedimentos vitais para um jardim cheio de vitalidade. Acompanhamento de um agrônomo ou de paisagista também é recomendado.
Espécies como jabuticabeira, citros em geral (bergamota, laranja, limão e laranjinha kumquat), pitanga, romã, amora, acerola, morango e goiaba medem, em média, de 1,5m a 2m, adaptando-se bem a vasos. Por isso, funcionam em sacadas ou até mesmo em livings. Há plantas de porte especialmente robusto, como o abacateiro e a mangueira, que não se adequam a espaços menores. 

Caramboleira é outra opção de planta frutífera que pode ser cultiva em vasos ou pequenos jardins caseiros. Foto: Julio Cesar Giuliani, Arquivo Pessoal 
– O ideal é montar um jardinzinho com plantas fáceis de cuidar – recomenda Daniela, ao ressaltar que em geral a manutenção das plantas é igual tanto para jardins externos quanto internos. 

Como outras plantas frutíferas, a jabuticabeira atinge cerca de 1,5m, não ultrapassando os 2m de altura. Foto: Julio Cesar Giuliani, Arquivo Pessoal
Mas é claro que monitorar o crescimento de galhos e raízes em um vaso é diferente de um canteiro com espaço ilimitado. Como um animal de estimação, plantar requer atenção.
Confira abaixo um guia de perguntas e respostas sobre as instruções e os cuidados para cultivar frutíferas em casa ou apartamentos: 
Como escolher o vaso ideal?Os vasos de cerâmica e de cimento são mais porosos e por isso têm uma boa drenagem do excesso de água. Para apartamento, sacada ou terraço, o mais indicado, porém, são os de plásticos que, além de mais leves e por isso mais práticos, exigem menos regas do que os anteriores justamente por serem menos porosos e perderem menos água. 
O que cuidar ao comprar uma muda?Observar se as flores e as raízes estão saudáveis e se não apresentam qualquer tipo de alteração, o que pode indicar presença de pragas. Ao levar uma muda doente para a casa, corre-se o risco de espalhar o problema para outras plantas. Segundo Giuliani, comprar mudas de ambulantes é assumir o risco de adquirir uma planta doente, e por isso é tão importante conhecer o florista e a floricultura. 
Quais as frutíferas ideias para quem não tem tempo disponível?Pitangueira, jabuticabeira e algumas espécies de citros são mais fáceis de cuidar porque não são tão vigorosas no seu crescimento, exigindo menos poda. Para quem quer evitar o cuidado inicial de uma muda, também pode optar por comprar uma planta já adulta, que vai exigir apenas a manutenção. 
Quando sei que a planta precisa ser regada?Depende da espécie e de como está o tempo (se o tempo está seco ou se está chovendo demais). Segundo Giuliani, o melhor método, porém, é colocar o dedo no vaso e sentir se a terra está molhada. Se estiver úmida, significa que o vaso ainda está com água no fundo. Caso contrário, é sinal de que é hora de aguar. 
Quando devo podar minhas plantas frutíferas?Segundo Giuliani, ter uma planta frutífera em casa significa necessariamente trabalhar com poda. Segundo ele, a principal delas é a de formação, que se realiza nos dois ou três primeiros anos de vida da planta e é quando se consegue definir o tamanho da árvore. Independente do seu porte, ela produzirá frutos da mesma forma. Porém, o agrônomo explica que uma planta no jardim geralmente costuma produzir mais frutos do que uma plantada no vaso. 
O que é e como funciona a poda de raiz?Procedimento realizado, em média, de três a cinco anos, dependendo do tamanho da espécie e do vaso, de retirar a planta do vaso, cortar as raízes e devolver a muda para o recipiente com nova terra e adubação. Segundo Giuliani, a planta dá sinais de quando o vaso está pequeno para as raízes e é importante ficar atento nestes sintomas:
– A raiz aparece na parte de cima do vaso ou começa a sair pelo buraco do fundo. Além disso, folhas amareladas ou queda e ausência de flor e fruto também indicam que a planta está fraca e com deficiência de nutrientes. São sinais de que a planta está sofrendo. Mas, claro, algumas espécies precisam de mais e outra de menos – exemplifica.
Insetos são sempre prejudiciais para as minhas plantas?Não. Porém, quanto mais fortes e saudáveis (adubação e irrigação adequadas) estiverem as plantas, menos suscetíveis a pragas elas vão ficar. 
Fontes: arquiteta e paisagista Daniela Sedo e engenheiro agrônomo e mestre em horticultura Julio Cesar Giuliani

Um comentário:

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.