domingo, 16 de dezembro de 2012

Ecologia e sustentabilidade: saiba como cultivar árvores nativas


Cultivar uma árvore nativa pode ser menos complicado do que parece, principalmente quando quem adquiriu a planta deseja cuidá-la e mantê-la sempre bela e saudável. Para que isso aconteça, basta apenas um pouco de conhecimento sobre a espécie escolhida, paciência e carinho.
Se ainda não decidiu qual árvore nativa deseja cultivar, a seguir encontram-se algumas das espécies mais comuns encontradas no Brasil e dicas sobre seu cultivo.
 Foto: Projeto Ipê
Cedro
Nome científico: Cedrela Fissilis Vell
Especificação: Presente em todo o país, a espécie é comumente encontrada de Minas Gerais à região sul do Brasil. Chegando a medir de vinte a trinta e cinco metros de altura, a árvore é bastante utilizada para reflorestamento e paisagismo em parques e grandes jardins.
Devido ao ataque de brocas (vermes que atacam certas raízes), o Cedro não deve ser plantado em agrupamentos homogêneos. Para evitar que a planta sofra com isso, plante-a ao lado de outras espécies, preferencialmente se forem nativas, e de acordo com a finalidade do plantio.
Ipê
Nome científico: Tabebuia
Especificação: Encontrada em todo o Brasil, a espécie é composta por flores brancas, amarelas, rosas e roxas. Por florescerem no final do inverno, deixam a paisagem cinza típica da época bem mais viva e chamativa.
A floração da árvore se inicia geralmente em agosto, mas pode mudar de acordo com a intensidade dos fatores climáticos. Por ser tão marcante e chamativa, as flores do Ipê atraem abelhas e pássaros como o beija-flor, muito importantes para sua polinização.
Para cultivar a planta, o mais indicado é plantar as sementes em um ambiente ventilado, enquanto a condução das mudas deve ser realizada ao sol.
Guanandi
Nome científico: Calophyllum brasiliense
Especificações: Primeira árvore a receber o título de “madeira de lei” no Brasil, o Guanandi pode ser facilmente encontrado em todo o território nacional. A espécie é considerada do tipo nobre, por isso, sua valorização cresce a cada dia.
Graças à sua durabilidade e coloração viva, o Guanandi pode ser o substituto do mogno no mercado de madeiras nobres e de alto padrão. A árvore pode ser usada para reflorestamento em áreas úmidas, pois não apodrece dentro d’água e aceita climas mais rigorosos. Dessa forma, a espécie é bastante maleável e resistente e, por isso, não necessita de maiores cuidados.Link

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.