terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Paisagismo em shoppings


Com a implantação de jardins, os shopping centers oferecem uma atração mais humanizada aos seus frequentadores

5 / 10
Foto: Carlos Edler | Paisagismo do Paseo Zona Sul, Porto Alegre, RS
Paisagismo do Paseo Zona Sul, Porto Alegre, RS

Jornalista(s):

Fernanda Oliveira

Tags:



























Com o passar dos anos, é notável a valorização do paisagismo. É cada vez mais comum casas com jardins planejados e executados por profissionais, assim como projetos paisagísticos de grandes condomínios residenciais e comerciais. Recentemente, a nova tendência é implantar o paisagismo em shopping centers.

Populares nas metrópoles, têm se alastrado também por cidades de médio porte. Além de local de consumo, estão se transformando em centros de lazer e cultura com a presença de salas de teatro e cinema, parques, bares e restaurantes.

Com as pessoas passando mais tempo nesses estabelecimentos, é fundamental torná-los o mais agradável possível. "Acredito que atualmente os shoppings não são apenas um espaço de compras de produtos. Agora, há o interesse em atrair clientes e fazer com que permaneçam, assim, funcionando como um ponto de encontro e, consequentemente, gerando lucros com outras atividades. Um ambiente aconchegante faz com que os consumidores retornem", informa Christiane Roncato, arquiteta paisagista, de Campinas, SP.

Evelise Tellini Vontobel, arquiteta urbanista, e Maria Angélica Tellini, engenheira agrônoma, ambas do escritório Tellini Vontobel - Arquitetura de Exterior, de Porto Alegre, RS, concordam. "Existem diversas razões para os shoppings apostarem forte no verde. Por exemplo, no estacionamento, garante-se humanidade por meio da mescla de plantas com as amplas áreas pavimentadas. Enquanto na parte interna, a preocupação é criar um ambiente mais natural, onde as pessoas se sintam felizes. Isso obviamente assegura um maior tempo delas dentro do centro de compras e, assim, mais consumo."

PLANEJAMENTO E IMPLANTAÇÃO

De acordo com a arquiteta paisagista de Campinas, ao pensar em áreas verdes para shoppings, primeiro, é fundamental trabalhar o paisagismo e a arquitetura simultaneamente. Em razão disso, é difícil ver a implantação de jardins em edificações antigas, sendo comum encontrá-los em novos empreendimentos, como o Outlet Premium, planejado pela própria Christiane, e o Shopping Cidade Jardim, que tem projeto da paisagista Maria João D'Orey, ambos na capital paulista.

Firmando esse conjunto, Evelise e Maria Angélica dizem que é possível definir amplos vãos que permitem a entrada de luz no interior do prédio e, então, possibilitam a execução de grandes áreas ajardinadas, já que haverá luminosidade necessária para a sobrevivência das plantas.

O próximo passo é pensar na escolha da vegetação. Ainda de acordo com as profissionais gaúchas, devem ser evitadas espécies que precisam ser cultivadas a pleno sol. Enquanto Maria João não indica aquelas que tenham espinhos ou sejam venenosas, pois podem causar acidentes.

Mesmo considerando esses fatores limitadores, o paisagista tem inúmeras possibilidades. "É interessante não se prender a regras e tentar inovar", aconselha a responsável pela criação da área verde do Shopping Cidade Jardim.

Christiane, particularmente, gosta de usar as espécies de grande porte, que garantem um visual adulto ao jardim rapidamente ou até mesmo de forma imediata. "Costumo utilizar muitas palmeiras (Palmae) e árvores como jabuticabeira (Myciaria cauliflora), pau-ferro (Caesalpinia ferrea) e sibipiruna (Caesalpinia peltophoroides)."

Ela ainda procura empregar plantas de tons fortes, como forrações coloridas, dentre elas, begônias (Begonia sp) e sálvias (Salvia sp). "Acredito que a cor alegra os frequentadores. Além disso, é um recurso complicado de ter em casa devido à elevada manutenção. Mas em shoppings pode funcionar bem", detalha.

Quanto a outros elementos e recursos, para Maria João, a utilização da água é interessante, assim como de materiais orgânicos, por exemplo, madeira e pedriscos. "Eles interligam melhor o jardim com a arquitetura", justifica a profissional.

Luzes e sons são outros itens que podem ser explorados. Segundo a arquiteta paisagista de Campinas, shoppings são sinônimos de entretenimento, por isso, deve-se abusar de atrativos. "As pessoas vão para passear e se divertir e, então, acabam comprando."

E para que as áreas verdes sejam sempre uma atração bonita e agradável, a manutenção necessita ser frequente e cuidadosa, podendo ser realizada nos horários em que os empreendimentos estão fechados ao público.

"Mas acredito que também pode ser feita à vista dos clientes, desde que a equipe esteja devidamente uniformizada. As pessoas gostam de ver os jardineiros trabalhando com as plantas. E é algo que faz parte do cotidiano de um jardim de verdade", opina Maria João.

RESULTADOS

As profissionais gaúchas relatam que ao planejar o paisagismo de shoppings, é essencial integrá-lo à arquitetura. O primordial é criar um conjunto coerente e harmônico. "O jogo de cor e textura das plantas precisa levar movimento e leveza às partes construídas", adiciona Christiane.

Além disso, deve-se ter em mente que as áreas verdes precisam agradar e chamar a atenção. Por isso, o resultado dos projetos paisagísticos deve ser impactante. "O jardim está ali para seduzir e agradar. Pode ser um diferencial para o cliente escolher que shopping irá frequentar", resume a paisagista responsável pelo paisagismo do Shopping Cidade Jardim.

Ela ainda ressalta a importância dos jardins nesses locais. "Os estabelecimentos perceberam que não poderiam continuar fazendo apenas edifícios enormes cheios de lojas. Atrativos mais humanizados realmente despertam o interesse das pessoas. Com isso, quem está apostando no verde tem obtido ótimo retorno."

Shopping Cittá América | Rio de Janeiro, RJ

Projetado pelo arquiteto paisagista Sergio Santana, da capital paulista, o jardim do Shopping Cittá América tem como elemento principal a água. Com estilo natural e informal, a ideia era representar a Mata Atlântica com córregos, rochas e espécies brasileiras, como filodendros (Philodendron sp), helicônias (Heliconiaceae) e palmeiras (Palmae).

Paseo Zona Sul | Porto Alegre, RS

Paseo Zona Sul é um shopping a céu aberto com projeto paisagístico do escritório Tellini Vontobel - Arquitetura de Exterior. Ele é cortado por um córrego ornamentado com seixos e canteiros com diferentes espécies tropicais, como agapantos (Agapanthus africanus) e palmeiras. Além disso, destacam-se vasos com flores coloridas e também uma bela parede verde.

Shopping Cidade Jardim | São Paulo, SP
O paisagismo do Shopping Cidade Jardim, criado pela paisagista Maria João D'Orey, garante a presença do verde em todos os pisos do empreendimento, com jardins internos, externos e suspensos. Todas as lojas têm vista para a área verde iluminada por luz natural. Árvores e palmeiras de mais de 18 m se destacam, por exemplo, jabuticabeira, sibipiruna e palmeira-fênix (Phoenix roebelenii).


Itu Plaza Shopping | Itu, SP

Implantado há 11 anos por Christiane Roncato, o Itu Plaza Shopping já tem um jardim consolidado. A profissional usou grandes pedras de granito, características da região de Itu e Salto, no interior paulista, para compô-lo junto com vegetação tropical, representada por palmeiras e cicas (Cycas revoluta). Além disso, a água, que brota das rochas, aparece como elemento marcante da área verde.Link

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.