sábado, 30 de março de 2013

As plantas certas para cultivar à sombra


Se é por falta de luz que seu canto verde não vai para a frente, saiba que nem tudo está perdido. O segredo é privilegiar plantas que curtem sombra – sim, elas existem!

Casa sem quintal, apê sem varanda ou área externa em que não bate sol? Nada disso é impedimento para ter folhas e flores por perto. Existem espécies que até preferem se manter longe da insolação direta, e outras que se contentam com uma pequena dose diária. Afinal, já que há gosto para tudo, por que não seria assim também entre os vegetais? “Todos precisam de luz solar para realizar a fotossíntese”, frisa a engenheira agrônoma Angela Cristina Rossi, do Shopping Garden, de São Paulo. Ela explica, porém, que a quantidade necessária varia bastante entre as espécies, classificadas em três grupos: pleno sol, meia-sombra e sombra. Enquanto o primeiro time exige a incidência direta dos raios por um mínimo de quatro horas diárias, o segundo parece seguir os conselhos dos dermatologistas, pois só gosta de se bronzear de manhã ou no fim da tarde, nunca ao meio-dia. A última turma, por sua vez, adora a luminosidade indireta, que pode ser filtrada pela janela. “Seu habitat é, justamente, à sombra das árvores”, explica Angela.
A floreira vertical metálica Violet (Shopping Garden, R$ 34,60) exibe belos exemplares de sombra em cachepôs coloridos: jiboia (roxo), renda francesa (verde), samambaia marissa (lilás), minilírio-dapaz (laranja), árvore da felicidade (azul), comigo-ninguém-pode (branco) e samambaia murano (amarelo). Da ABC Garden, cada vaso de alumínio custa R$ 10,90, exceto o maior, no topo, que vale R$ 21,50. Mesinha de madeira (R$ 131,70) e regador (R$ 45,80) do Shopping Garden.
Pacová: também conhecido como babosa-de-pau ou babosa-de-árvore, o pacová tem folhas verde-escuras brilhantes e pode alcançar 1 m de altura. É uma das plantas que melhor se adaptam a ambientes com ar condicionado e não requer rega nem adubação muito frequente. O único alerta vale para todas as integrantes desta seleção: sol em excesso, diretamente sobre as folhas, pode queimá-las.
Espada-de-São-Jorge: de acordo com a tradição popular, quando colocada perto da porta de entrada, a espada-de-são-jorge protege a casa da inveja e do mau-olhado. Há, ainda, a crença de que a versão com folhas de bordas amarelas atrai prosperidade. Fácil de cuidar, resiste não apenas à sombra e à meia-sombra como também ao sol pleno. Não possui caule e mede de 70 cm a 90 cm.
Antúrio: o antúrio é famoso por suas folhas em formato de coração e pelas flores coloridas – tradicionalmente vermelhas, mas também encontradas em rosa, amarelo, branco e, até, preto ou verde. Devido a modificações genéticas, seu tamanho pode variar de menos de 20 cm a mais de 1,50 m. Friorenta, é uma espécie que apresenta sinais de sensibilidade quando o termômetro marca abaixo dos 12 ºC.
Lírio-da-paz: bandeira-branca e espatifilo são outros nomes do popular lírio-da-paz, que figura em inúmeros projetos de decoração e, de acordo com o feng shui, simboliza união e harmonia. No verão, esta planta encontra sua estação preferida: é a época em que mais cresce e floresce. A estatura média fica entre 40 cm e 60 cm, mas há uma variedade em miniatura, com cerca de 20 cm de altura.
Dracena pau-d'água: espécie arbustiva de folhas longas, a dracena pau-d’água é volumosa e alta, chegando a impressionantes 6 m de altura. Esporadicamente, dá pequenas flores brancas, que, embora não tenham importância ornamental, são perfumadas. A planta, resistente, suporta um pouco de insolação direta, porém se desenvolve melhor se cultivada em áreas sombreadas.
Lírio-do-Amazonas: graças a suas flores brancas suavemente perfumadas e em formato de estrela, o lírio-do-amazonas também atende por estrela-d’alva, estrela-da-anunciação ou estrela-de-belém. Geralmente, a florada ocorre três vezes ao ano, podendo ser estimulada com adubação orgânica adequada e farinha de osso. A altura da planta vai de 70 cm a 1 m, e suas folhas exibem coloração verde-escura.
Bromélia Gusmânia: assim como os demais membros da família das bromélias, a gusmânia aprecia temperatura e umidade elevadas. É por isso que sua flor vermelha, de estilo exótico e vistoso, costuma despontar no verão – e, perene, dura mais de um ano. As folhas, por sua vez, são verde-claras, longas e grossas, sem nervuras. Um exemplar adulto mede aproximadamente 30 cm.
Maranta: diversos tons de verde, do claríssimo ao mais fechado, se combinam na folhagem da maranta, criando um padrão do tipo espinha de peixe. Com estatura média de 60 cm, é utilizada não só na decoração de interiores mas também como forração junto a muros. Pede solo bastante enriquecido com matéria orgânica e adora o clima quente e úmido.
Preços pesquisados em 2012, sujeitos a alteração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.