sábado, 14 de dezembro de 2013

PLANTAS


Lágrimas-de-bebê (Helxine soleirolii)

Originária da Córsega e da Sardenha, no Mediterrâneo, passou ao cultivo em várias partes do mundo, desde que o clima não apresente invernos muito rigorosos. 

Trata-se de uma planta rasteira e pendente, que logo fica compacta, criando um tapete de folhas miúdas.

Produz enorme quantidade de folhas minúsculas, verdes e brilhantes, que nascem em ramos extremamente finos e delicados.

Com desenvolvimento muito rápido, logo forma uma espessa camada de folhagem, semelhante a um tapete de folhas miúdas.

Os mais observadores notarão que ela possui flores diminutas e esverdeadas nas junções das folhas.

Os exemplares prestam-se a forrações e, quando plantados em vasos largos e rasos, logo tomam conta de todo o solo, pendendo pelas bordas do recipiente, o que os torna perfeitos para vasos suspensos.Link



Pata-de-urso (Cotilédones tomentosa)

Nativa da África, essa suculenta tem grandes folhas ovais, verdes com proeminentes "dentes" nas pontas que dão a impressão de patas de urso.

As grandes flores em forma de sino laranja na primavera, crescem geralmente em campos de quartzo rochosas onde eles têm excelente drenagem fornecida pelo solo muito poroso.




Filipendula rubra venusta

Arbusto robusto, nativo da América do Norte, com uma aparência bem ousada.

Suas grandes flores rosa contrastam com uma profunda folhagem rendada, verde.




Calceolária

Gênero botânico pertencente à família Calceolariaceae e encontrado desde a Patagônia até o México



Mimosa (Acacia dealbata)

É uma espécie de árvore nativa da Austrália. Tem crescimento rápido e não vive normalmente mais do que 30 a 40 anos, ao fim dos quais é substituída por outras.

Apesar de nome vulgar não pertence ao gênero Mimosa.
Devido à facilidade de propagação e resistência, é uma espécie invasora em muitos habitats.



Protea (Protea cynaroides)

Esta Protea cynaroides cultivar 'Madiba' foi nomeado depois que o ex-presidente Nelson Mandela Estado, por ocasião do seu 80 º aniversário em 1998.

Uma grande flor cabeça com brácteas de flores vermelhas brilhantes



Aspargo-alfinete (Asparagus densiflorus Sprengeri)

Planta ótima para plantar em jardineiras e vasos suspensos, como é feito com as samambaias, valorizando desta maneira sua folhagem pendente e delicada.

A planta apresenta as folhas verdadeiras transformadas em espinhos, enquanto as pseudo-folhas são em forma de agulha. 

Durante todo o ano apresenta flores brancas, discretas e pequenas além de frutinhos vermelhos e esféricos. Sua utilização paisagística deve valorizar a textura de sua folhagem.

Deve ser cultivada a meia-sombra, em vasos ou jardineiras com terra rica em matéria orgânica, regadas a intervalos regulares. É uma planta que tolera o frio.



Aspargo-samambaia (Asparagus setaceus)

O aspargo-samambaia é uma planta arbustiva e trepadeira, com folhagem de textura delicada e plumosa, muito decorativa. Na primavera e verão surgem numerosas flores brancas e minúsculas, de importância ornamental secundária, que originam frutos esféricos, pequenos, do tipo baga e de coloração preta.

O aspargo-samambaia pode ser conduzido como folhagem, em vasos com suportes fibrosos, da mesma forma que jibóias e filodendros.

No jardim ele se comporta como arbusto ou trepadeira, e desta forma pode ser aproveitado para cobrir cercas, telas, grades, etc.

Devido a facilidade de propagação, o aspargo-samambaia é considerado planta invasora e caracteriza-se por cobrir e sufocar a vegetação nativa. LINK


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe aqui seu comentário,é muito importante pra nós.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.